"REFÚGIOS"

Meus dias em Cabuyal Parte 4

read more
"REFÚGIOS"

Meus dias em Cabuyal Parte 3

read more
"REFÚGIOS"

Meus dias em Cabuyal Parte 2

read more
"REFÚGIOS"

Meus dias em Cabuyal Parte 1

read more
"EN CANTOS""ENTRE NÓS"

Império Matarazzo

read more
Sem categoria

Razões para Acreditar, sim!

read more
"DIVERSÃO & ARTE"

Metamorfoses e heterogonia

Metamorfoses e heterogonia
Imagine que José de Anchieta, ao chegar ao novo mundo, imaginava mutações e hibridizações entre espécies e deixou tudo registrado em anotações. Nela, imaginava ratos com asas, pássaros com garras de caranguejo ou que se alimentavam de orvalho.

Foi partindo desses equívocos que Walmor Correa criou esse universo de elementos fictícios convincentes, que chega a gerar certa confusão: "É real? Não! É arte? São de verdade?", são alguns dos comentários que ouvimos de quem passa pelo Projeto Parede do MAM, a caminho da grande sala do museu, onde está a exposição de Guignard.

224 Views
"EN CANTOS"

Martinelli, o primeiro arranha-céu de São Paulo

Martinelli, o primeiro arranha-céu de São Paulo
Não tem como passar por ele sem se impressionar. Hoje em dia, nem tanto pela altura, já que há tempos deixou de ser o mais alto da cidade, mas pela sua imponência, estilo e elegância.

Idealizado por Giuseppe Martinelli, um imigrante italiano, dono de uma grande companhia de transporte marítimo que levava café, cereais e outros produtos de Santos e Rio de Janeiro para a Europa. Seu sonho era fazer um prédio que não só marcasse São Paulo, mas também a América Latina no mundo.

257 Views
"REFÚGIOS"

Pico do Jaraguá

Pico do Jaraguá

Ponto mais alto da cidade de São Paulo, com 1135 metros de altitude. Lá do alto, pode ter uma vista até 55 km de alcance (incluindo a Paulista, o Rodoanel, a Cantareira e a Serra do Mar), onde pode-se ver a proporção da invasão da cidade na natureza. Para nossa sorte, esta área é preservada pelo governo e tornou-se o Parque Estadual do Jaraguá.
 

É no alto do pico que ficam as duas maiores antenas de TV das emissoras Globo, Cultura e Bandeirantes. Para chegar lá, pega-se a Trilha do Pai Zé: 2 km de subida com abrupta (e impressionante) mudança da mata atlântica: de Floresta Densa (mais úmida e grandes árvores) para Campo de Altitude (solo pedregoso e com vegetação mais baixa) e, quando acha que está quase lá...voilá: uma escadaria de 242 degraus. É sofrida, mas é compensadora pela paisagem.

1400 Views
"REFÚGIOS"

Trilha do Pai Zé

Trilha do Pai Zé
 
Tem esse nome, pois era uma trilha frequentada por um centro espírita que tinha um médium que incorporava uma entidade de nome "Pai Zé". Hoje em dia não é mais permitido, pois há perigo de incêndio por conta das velas acendidas na mata.  
casaraoafonsosardinha

Casarão de Afonso Sardinha

paize2

detalhe das janelas do Casarão

A trilha começa num parque com rua de paralelepípedo, lago, gramado onde pode-se fazer churrasco. Após esse trajeto é que o passeio se torna interessante e começamos a conhecer mais da história dos Bandeirantes em São Paulo. Eles descobriram que a região tinha muito ouro. MUITO OURO! Tanto, que foi comparada a El Dorado. Daí o nome do bairro Perus (CHOQUISS!). Eles lutaram contra os índios que viviam na região mas, na primeira tentativa, perderam a batalha. Chamaram então, um português batuta de nome Afonso Sardinha que dizimou centenas de índios tupis-guaranis para explorar o ouro da região. Inclusive transformou os índios em escravos. Aliás, ele foi um dos primeiros a comprar escravos de Angola. Seu casarão ainda está lá. Tem janelões grandes na parte de cima, onde viviam os patrões e 'janelinha inha inha" na parte de baixo, onde ficavam os escravos. Se quiser saber mais sobre Afonso Sardinha, aqui vai um link: Pensa num cara tosco!

Continuando a Trilha...

Boa parte da vegetação foi replantada, já que foi explorada primeiro pelo ouro e, depois pelo café. Encontramos quase em frente ao Casarão os únicos 3 jatobás sobreviventes da mata nativa. Calcula-se que eles têm cerca de 450 anos. Caminhando mais um pouco, encontramos um tanque de lavagem de ouro, feito em pedra sabão. Depois disso, a trilha segue com vegetação mais fechada e bem mais tranquila.

[/vc_row]
434 Views
"COMER & BEBER"

Café da manhã – Quartier du Pain

Café da manhã – Quartier du Pain

P
adaria de alto padrão ou, frescamente conhecida como Boulangerie. Ideal para aquele café da manhã especial, no domingo de preguiça, que se estende até 3 da tarde (horário que encerra o brunch).

285 Views
"DIVERSÃO & ARTE"

Festival das Estrelas

Festival das Estrelas
Tradicional festa japonesa que acontece na praça da Liberdade, no sétimo dia do sétimo mês do ano (ou no final de semana próximo a ele). Também conhecida como Tanabata Matsuri ou, simplesmente, Tanabata.

Baseia-se numa lenda de uma princesa que se apaixonou por um rapaz. A partir de então, a vida de ambos girava apenas em torno do romance. Nem aí pra estudar, trabalhar...O pai, vendo aquela palhaçada toda, resolveu mandar cada um pra um lado da Via Láctea (apenaix!). A filha sofreu pacas! Então ele decidiu liberar 1 vez ao ano para que o casal se encontrasse. Justamente no sétimo dia do sétimo mês do ano, conforme o calendário lunar. PORÉM teriam que atender a TODOS os pedidos vindos da Terra.

263 Views
Sem categoria

Bem-vindo!

Bem-vindo!
Uma cidade tão grande e acabamos nos “fixando” na nossa região, no nosso bairro, frequentando os mesmos lugares e perdemos boas oportunidades de descobrir coisas novas e interessantes. O site surgiu a partir disso: minha necessidade de ver a cidade como um novo olhar. Um olhar de turista. Curioso e desbravador. Aqui eu tento coletar informações e […]
406 Views