"COMER & BEBER""ENTRE NÓS"

A cozinha do Olimpo

A cozinha do Olimpo
Q
uando pensei em escrever sobre o restaurante Acrópolis, fiquei na dúvida em quê, exatamente, seria esse post: o restaurante? A comida? A tradição? O atendimento? Cheguei a conclusão que o sucesso de tantos anos é a mistura de todos esses ingredientes além, é claro, de muito trabalho. Mas não dá pra falar do Acrópoles sem antes descrever um pouco do “seu Trasso”, o proprietário.

De origem grega, Thrassyvoulos Georgios Petrakis, mais conhecido como “seu Trasso”, chegou a São Paulo em 61, junto com a esposa e filha recém nascida, a pedido de sua cunhada, que queria o conhecer. Ele acabou ficando e trabalhando na quitanda que ela mantinha na Zona Norte da cidade. Ao mesmo tempo, ele também começou a trabalhar como garçom no Acrópoles, que na época se chamava “Cantinho Grego”, de propriedade de um conterrâneo.

acropoles6Em 1969, uma tragédia aconteceu em sua vida. Ele perdeu a esposa, a filha, a cunhada e o filho dela, numa explosão de gás do chuveiro, na casa de veraneio da família, em Santos. Depois do acidente, ele decidiu continuar no Brasil, mesmo sozinho, e trabalhar no restaurante. Em poucos anos, ele comprou o Acrópolis e o transformou no que é considerado hoje como um dos melhores restaurantes da cidade. Chegou a ter uma filial nos Jardins que uma filha cuidava mas, segundo ele, ela não soube administrar e tiveram que fechar. Acredito muito mais que a presença dele seja o diferencial.
acropoles4Aos 99 anos, vai todos os dias trabalhar e esbanja simpatia e bom humor. Até pouco tempo, seu Trasso, supervisionava o restaurante, recebia os clientes na porta e ficava o tempo todo atarefado no atendimento das mesas. Hoje, uma outra filha o ajuda e ele consegue ficar mais tempo sentado, tomando um vinho, que dizem ser o segredo da longevidade dos gregos, e apreciando o grande movimento da hora do almoço. Mas não perde o foco. Conversando comigo, ele pergunta se gostei da comida. Disse que sim e ele comenta: “Todo mundo diz isso!” <3

acropoles5Toda essa dedicação e trabalho estão estampados nas paredes branquíssimas do restaurante: Prêmios, reportagens, fotos com celebridades, mais prêmios, fotos espetaculares da Grécia
e mais prêmios pela excelência
gastronômica. O Acrópoles tem uma aparência bem simples e informal,
como de um boteco, o que torna ainda
mais agradável o ambiente.

acropolesNão tem cardápio. Você vai até
a cozinha e escolhe o que quer comer: carneiro assado, carneiro com molho avgolemono, charuto de repolho, mussaká, pato com champignon, vitela
ao forno, salmão, camarão a parmegiana, polvo ao vinho, risoto de frutos do mar, lula recheada e por aí vai… Você escolhe o prato principal e mais dois acompanhamentos já determinados. Os preços vão de
36 a 62 reais a porção inteira (muito bem servida) ou 15 a 28 reais por meia porção. Tem também algumas opções de entradas, como o  bolinho de camarão, lula a dorê, polvo a vinagrete, coalhada seca, salada, que podem ser pedidas na mesa.

Como eu não sou muito da turma da carne vermelha, optei pela combinação de Lula recheada + Polvo + Risoto de frutos do mar (foto). A comida grega é forte e bem temperada, mas deliciosa.

Ainda tem muito o que provar no Acrópoles. O Mussaká, por exemplo, é o prato mais típico da Grécia. É uma espécie de lasanha de batata e berinjela e é o prato mais pedido. Ele não conta o segredo do tempero.

Sem dúvida alguma, é um dos lugares mais recomendáveis para se comer bem em São Paulo. Para ter uma idéia, o Acrópoles está entre os 8 restaurantes brasileiros da lista de roteiros do “Mil lugares para Conhecer antes de morrer”, best-seller mundial da americana Patricia Schultz, de 2oo6. Junto a ele está o Figueira Rubayat e o D.O.M. do Alex Atala.

O Acrópolis fica na Rua da Graça, 364, no Bom Retiro e funciona todos os dias das 7:30 da manhã até 21 horas. Mais informações no site!

423 Views

Comments (1)

  • Rodrigo says:

    Amo esse restaurante! Pra mim, é dos mais sabororos e agradáveis de SP.

  • Deixe uma resposta